Selecciona o teu tema de fundo: Selecciona o teu tema de fundo: Regista-te para guardares a tua escolha Fechar
Loja Donativos
Huntington's Disease Youth Organization

A minha memória não é tão boa como era, devo fazer o teste genético da DH?

A HDYO tem mais informação sobre DH disponível para jovens, pais e profissionais no nosso site:

www.hdyo.org

P. Costumava ser capaz de memorizar muitas coisas. Agora, à medida que estou a crescer, noto que essas capacidades estão a diminuir drasticamente.

O conhecimento que eu costumava ter não está tão acessível como era hábito. Estou constantemente a baralhar as palavras quando falo, como se a minha mente soubesse o que quero dizer, mas a minha boca não conseguisse formar as palavras correctamente. Devo fazer o teste genético da doença de Huntington?

Brian, jovem adulto, EUA

Ask a question

R. Caro Brian,

Obrigado pelo teu email.

Os problemas de retenção de informação não são sinais típicos do início da DH. Nem o facto de baralhar as palavras. No entanto, as pessoas têm muitas razões para fazer um teste genético da DH. Se estiveres “em risco” de DH (i.e. se tiveres um familiar próximo que tenha a DH), então talvez existam razões para fazeres um teste genético, mesmo que não tenhas quaisquer sintomas. Isto é chamado um “teste preditivo” e alguns adultos fazem este teste para os ajudar a planearem a sua vida. Existem alguns aspectos negativos possíveis no facto de se fazer um teste preditivo tais como existirem problemas com as seguradoras. Os conselheiros genéticos são bons interlocutores para se falar sobre os prós e os contras do teste preditivo.

A questão seguinte é o porquê de estares com problemas de retenção da informação e andares a baralhar as palavras. Existem inúmeros motivos possíveis para estes sintomas. Da minha experiência, as razões mais comuns para a ocorrência destes sintomas numa pessoa de 21 anos, são a ansiedade e a sobrecarga de informação, mas há uma longa lista de razões possíveis. E a DH estaria bem no fundo dessa lista.

Felicidades e obrigado pela tua questão.

Hugh Rickards